Afinal aquilo da berlaitada era só um aperitivo

Tentei, eu tentei, trazer para a discussão a Saúde Escolar e a possibilidade da criação na escola, como há em muitas outras, de um gabinete de apoio médico que funcionasse em articulação com o Centro de Saúde mas fui completamente cilindrada por qualquer coisa a que não quero chamar tacanhez e muito menos estupidez mas a que não posso chamar outra coisa sob o risco de estar a fazer uma avaliação menos correcta. É que assim que referi o facto de duas alunas da escola terem engravidado fui completamente esmagada, e emudecida, pela pergunta mais pertinente de todas:
- E sabes onde é que engravidaram?

I rest my case.
(Sim, achei que se referisse que na última secundária por onde as minhas filhas passaram o gabinete de apoio médico facultava preservativos e pílulas recuperariam o tal potro da inquisição e só sossegariam quando fosse queimada como bruxa no pelourinho mais próximo)

(E, já agora, dou por mim a pensar que ainda bem que as miúdas já cresceram e já não andam pela escola a dizer "a minha mãe é a cabra de serviço". Deus me livre!)

3 comentários:

Menino De Sua Mãe disse...

E ninguém perguntou por onde é que engravidaram?

(é que pelo que vais contando, parece que há por aí quem também emprenhe pelas orelhas)

Menino De Sua Mãe disse...

(e se achas que isso "das miúdas andarem a dizer" é mau, imagina o mesmo mas na versão gaijo...)

Fusão do Atomo disse...

Parece que correu "bem", insiste porque foram sempre as minorias que fizeram as grandes revoluções.