Halloween o caraças, para falar bom português.

Se não me deixam votar no Obama a que propósito tenho de levar com o americano Halloween? Eles que se divirtam neste carnaval de uma noite que nós por cá para o Carnaval temos três dias inteirinhos.
Deixem-se lá de armar ao pingarelho que não precisamos de andar feitos macaquinhos a copiar os camones. Há mais anos do que aqueles que se sabem contar que esta é a noite dos "bolinhos e bolinhós", tradição bem portuguesa e que se continua a cumprir por essas aldeias fora. Claro que a malta das cidades, aqueles todos que têm "uma terra" - passei a ouvir a expressão do "ir à terra" quando fui para Lisboa viver e matava-me sempre a rir com esta assunção de uma ruralidade que na maior parte das vezes os incomoda - prefere fingir-se muito sex and city e brincar ao halloween das gentes civilizadas, mas isso só revela a nossa pobreza, a pobreza de quem esconde a avó que usa lenço na cabeça.
Sabem porque raio as eleições americanas são sempre a uma terça feira de Novembro? Afinal é dia de trabalho e tudo. Eu também não sabia mas o Ferreira Fernandes explicou no outro dia. É que por lá não têm os nossos pruridos e fazem questão de manter as tradições. As eleições começaram por ser em Novembro porque era a altura em que se acabavam as colheitas, deixava de haver grande trabalho nos campos e o Inverno ainda não tinha começado. Ao Domingo não podia ser porque é o dia do senhor e há que respeitar. Para poderem votar os agricultores tinham de se deslocar à cidade mais próxima e precisavam de três dias para isso - um para ir, outro para votar e outro para regressar. Para esses três dias não apanharem um Domingo as eleições tinham de ser à terça ou quarta-feira. Como quartas era dia de mercado escolheram a terça e desde 1845 que as eleições são sempre na terça feira seguinte à primeira segunda feira de Novembro.
Nós por cá armamo-nos em espertos, esquecemos quem somos e toca de mimar tudo o que achamos fino. Deixemo-nos lá de finezas que temos os Finados e por esta altura os miúdos pedem o Pão de Deus ou os Bolinhos e Bolinhós de casa em casa. Os nossos, não uns de um fried chicken qualquer. E, para quem não sabe, fica a cantiguinha que era hábito cantar-se e que ouvi e cantei muitas vezes quando era miúda antes das modernices do halloween.

Bolinhos e bolinhós

Para mim e para vós
Para dar aos finados
Qu'estão mortos, enterrados

À porta daquela cruz

Truz! Truz! Truz!
A senhora que está lá dentro
Assentada num banquinho

Faz favor de s'alevantar
P´ra vir dar um tostãozinho."

Quando os donos da casa dão alguma coisa

"Esta casa cheira a broa
Aqui mora gente boa
Esta casa cheira a vinho
Aqui mora algum santinho."

Quando os donos da casa não dão nada

"Esta casa cheira a alho
Aqui mora um espantalho
Esta casa cheira a unto
Aqui mora algum defunto."

De hot a freezing

Oh Rebanho :
Uff! Uff! Aiiiiiiiiii!
Chegar aqui foi uma etapa suadissima.
Depois de imensos recuos e avanços, hesitações, timidez - aviso já, tudo características pessoais, que podem vir a confirmar - muita virgindade nisto de escrever em blogs e inclusivamente (para os que repararam) mudanças do estado de "alma" (alguém lhe chamou mudança de "temperatura"), de hot a freezing...Cá estou para ficar. Fico naturalmente com o estado de "alma" hot, não poderia ser de outro modo.
Pediu-me a Chefa que fizesse uma apresentação pessoal. Mas confesso, sou incapaz. Mais uma vez, oscilo entre descrever-me a ferro e fogo ou fazê-lo com uma enorme tolerância. Para mim, são difíceis os meios-termos.
De qualquer forma, vindo o pedido de uma das poucas pessoas que o pode fazer melhor do que ninguém, raios a partam! Ok, bem sei que ela é a Chefa, blá, blá, blá, devemos-lhe respeito, enorme reverência, quando ela discursa o mundo ouve... mas enfim, este Rebanho é modernaço democrata, ácido e irreverente.
Sigo, como bom membro de qualquer rebanho, o ultimo conselho da dita Chefa: "Olha, dá-lhes duas de conversa e manda-os passear". Não me sinto capaz de tanto, deixo para já as duas de conversa e com o tempo virá o resto.

Logo de manhãzinha

"Um discurso abreviado , é um discurso sucinto, ou um discurso suscinto?" são as dúvidas do "Falar Bom português".
No Bom Dia portugal (telejornal) têm esta rubrica, e interpelam as pessoas que apressadas se dirigem ao metro, ou autocarro com perguntas pertinentes. Ainda não percebi se fazem só uma, ou uma data delas, e depois as espalham ao longo da semana. Uns dizem bem, outros mal, e no fim lá vêm eles triunfantes "Diz-se discurso sucinto do latim sucintus .... a outra forma não existe!". Outras vezes dizem que se pode dizer das duas formas. Fico sempre a pensar, qual é a o objectivo disto, educar alguém, ou expor a ignorância do povo. Eu como povo, recusava-me a responder. Mas o povo tem sempre razão. E aprendi na fac. de Letras que a língua muda , ou evolui, devido ao uso, que lhe dão os falantes, e sempre assim foi, desde o latim clássico e escrito e o latim vulgar, dos cidadãos. E sabiam que o português deriva de um latim mais culto, devido à nossa romanização ter sido feita por classes socias mais elevadas, que tinham vilas e termas à beira mar (Portugal) e em Espanha deriva do latim popular, falado pelos legionários etc, que ficavam por lá no interior... Por isso dizemos " comer" e não "manducare" , mangiare, manger...
Agora vêm com a palavra "personagem" que já dizem que se pode dizer das duas maneiras...
Mas personagem vem do francês, personnage, onde é do género masculino, mas em português passou a ser do género feminino (devem ter sido os falantes...) .
E sempre se disse "a personagem principal do livro, é Tom Sawyer" etc, e ainda se ensina assim (vi no livro de português da Catarina) . Mas como no Brasil há muito se diz "o personagem" e "a personagem" (como se fosse uma pessoa) agora aqui, que se vêem telenovelas, também anda tudo a dizer "o personagem que Tony ramos interpreta..." E ainda pior "o personagem Anabela, da "Outra"... Mas como os falantes é que sabem, e se a maioria começa a dizer isto, pronto, passa a ser correcto. E qualquer dia lá está no dicionário. Se calhar já lá está. É aceitável das duas formas, dirão no "Bom Português". Está bem, bute.

Casa roubada, trancas à porta

Depois de repetir as mesmas coisas anos a fio, a aconselhar, a incentivar, a apoiar mudanças que seriam benéficas para o visado. Depois de anos a fio a ver tudo cair em saco roto, a ver fazer ouvidos moucos ou ouvidos de mercador, de o ver assobiar para o lado, de obter respostas do género: "-Sim, eu depois penso nisso"; "-Vou pensar", "-Logo se vê", "-Para o mês que vem que agora não me dá jeito"; "-Agora não porque não tenho tempo" e desculpas esfarrapadas do mesmo calibre.
Agora, sim agora, que o que não tem remédio remediado está, que não há volta a dar, que nem que se pinte de azul, que não tem forma de me dar a volta, que a história acabou e não tem volume seguinte, agora faz exactamente tudo o que eu sempre aconselhei e incentivei.
Tarde piou! Espero que também aprenda que o tempo é o bem mais precioso que temos e que esperar por amanhã pode ser tarde demais. O que eu lamento mesmo, é que não é o único e que há mesmo muita gente que faz exactamente o mesmo, que acha que amanhã, para a semana, para o mês que vem, no próximo ano, ou quem sabe um dia, ainda vai muito a tempo, engano, pode ser tarde, muito tarde e, nessa altura de nada vai valer o arrependimento a não ser para causar umas insónias.

O Discurso da Chefa (podeis sentar-vos) *

(aqui discursa-se quando me apetece discursar)

É com a voz embargada de emoção, as lágrimas a escorrerem pelo rosto e um cálice de vinho do Porto no bucho para acalmar a nervoseira que venho aqui, perante vós, falar dos prémios do Cabra.
Dois prémios Dardo e um prémio Alvo. Três prémios. Três.
Isto deixa-me especialmente sensibilizada porque se toda a gente já sabe que sofro de pele fina, muito fina, estas coisas fazem-me assim uns arrepios. É que se tivermos em conta os milhares de blogs que há por esta blogosfera fora, o termos sido distinguidos com três prémios leva-me a fazer a pergunta que se impôe:
- Porra!, só três? Mas o resto da gente anda toda distraída?

Depois do protesto, a indignação tem que sair por algum lado, passemos ao discurso oficial.
Agradecemos a quem nos fez, a quem esteve quase para nos fazer mas tocou no travão de mão com o joelho, o carro deslizou até bater no muro e lá se foi o empenho, à professora que nos ensinou as primeiras letras porque mais ninguém nos conseguiu ensinar coisa nenhuma, ao Sr. Bill Gates - esta é graxa, a ver se cola e chove qualquer coisita... - aos tipos do Google que mandam os tansos para aqui à procura de gajas pretas nuas, a todos os perfeitos imbecis que dizem umas alarvidades que assim que são paridas já trazem o letreiro a dizer Postem-me!, e ao anónimo que nos lê mas que consegue ter mais personalidades que o Arséne Lupin e o Santana Lopes juntos o que dá uma conta calada no sitemeter.
É com muito gosto, que para nós prazer é outra coisinha, desculpem a franqueza, que dia após dia (será mais noite após noite, olá mãe, sim, as suas netas estão bem e a dormir, pode ir para dentro outra vez) nós por aqui andamos à cata de prémios e de leitores com posts desenxabidos e numa masturbação colectiva nas caixinhas de comentários que, essa sim, nos dá um enorme gozo.
Somos as cabras de serviço, ao nosso serviço evidentemente, mas não somos, ao contrário do que andam por aí a dizer, um blog de gajas. Quanto muito seriamos um blog de gaijas, mas nem isso.
Blog de gaja tem algumas características particulares. Blog de gaja fala de trapos, filhos e orgasmos, muitos orgasmos. Blog de gaja é um pãozinho com muito bom aspecto, mas sem sal, porque gaja gaja não conseguer brilhar se não tiver gajo por perto. As gajas, toda a gente sabe, vestem-se para lixar as outras gajas mas para ver gajas vestidas serve qualquer shópingue ao fim de semana. Giro giro é ver as gajas nuas, ou pelo menos a despirem-se, e isso só o fazem, com um mínimo de qualidade, se tiverem gajos por perto. E o Cabra é assim. As gaijas cá de casa (que o "i", como já expliquei, é o que dá a pinta à gaja) podem aparecer muito bem arreadas, mas temos graça é no despir e para isso são os nossos gajos de serviço que nos inspiram. Andamos todas aqui a mostrar o que temos, ou não temos mas se dissermos que sim com muita convicção nem se nota o embuste, porque os nossos cabras de serviço nunca tiram o olho de cima, e se nos descuidamos não tiram também tudo o resto, e isso obriga-nos a dar o nosso melhor. E depois é história conhecida - gaija com gajo atiça os outros gajos e gajos com gaijas são irresistíveis para qualquer gaija com "i" ou sem ele.
Portanto, e só porque se não vou cozinhar já as lulas elas não se aguentam para amanhã que ando a adiar a tortura há dois dias, qualquer prémio que este blog receba vai direitinho para os Cabrões de Serviço. Sem eles nós estariamos a falar de buracos nos collants, do Halloween, das pesquisas do Google ou de qualquer outra coisa a sair da cabecinha iluminada da Gaija com G maiúsculo, que lá por ser do norte ela acha que pode criar fama e deitar-se a dormir e só posta quando posta, apesar de ser a grande responsável pelas gargalhadas que damos ao ler as caixas de comentários (e as caixas de comentários são parte integrante deste blog e não podem ser vendidas separadamente).

Acordai agora, vítimas da fome (filhas, o jantar está quase quase...) e juntem-se a mim num aplauso sentido (isto parece sério mesmo) aos gajos que, apesar de não parecerem grande coisa, são os grandes responsáveis pelos sorrisos, sem arfanços que esses estão guardados para outros, das gaijas deste blog.

* a gaija do norte diz, e muito bem, que o título deste post devia ser "masquéstamerda?"

Desculpem o abuso, mas tenho de perguntar

Gaijas, quando percebem que o único par de collants que fica bem com a roupa, que já está mais que pensada, tem um buraquinho num dedo do pé, fazem o quê:

- deitam imediatamente para o lixo e vestem aqueles outros que são simplesmente horríveis;
- tentam coser o maldito ou colá-lo com Pelikan;
- fingem que não notam, dobram a ponta da meia, entalam debaixo do pé e passam o dia a pensar naquelas histórias do gajo irresistível ao virar da esquina e do quarto de hotel e do champagne com morangos e da vergonha imensa do dedo a espreitar por um buraco que tem já o dobro do tamanho?

Nunca mais é sexta






Amanhã é o Halloween, finalmente.

Antigamente era só o Carnaval, agora temos de arranjar fatos alusivos a Noite das Bruxas para os filhos levarem à escola, também em Novembro.

Com o do 4º ano não há problema, vão numa visita ao Pavilhão do Conhecimento. O horror não fica no entanto excluído, pois eles estão encarregados dos seus afilhados do 1º ano, tem cada um o seu, para tomar conta. E o do meu é uma miúda, e a querida irmã já o anda a assustar que vai ter de a levar pela mão e tal. Os que têm rapazes estão todos contentes, a esses não se importam de dar a mão.... Por agora.

A mais velha decidiu que não quer ir com o seu tradicional fato de bruxa. Vai a uma festa a sério, em casa de uma colega, está a turma toda. Mas tem de ir mascarada... vampira não quer, olha vai de fantasma, um lençol rôto e já está.

Quanto a mim devo ficar de Zombie, no sofá, a ver TV.

Oposição às cegas

O PSD, pela boca de Adão Silva (ex-Secretário de Estado da Saúde), insurgiu-se contra o aumento da percentagem dos seguros destinada ao INEM, prevista no Orçamento do Estado.
Da paupérrima argumentação do deputado laranja destaco a ideia de que "os portugueses vão pagar mais e não vão ver honrados os compromissos", um dado adquirido digno de um visionário e que desmantela qualquer sustento para este não porque sim que vai ao encontro da pobreza franciscana da oposição cuja líder ainda ontem, na SIC Notícias, voltou a exibir.

Em causa está o aumento de um para dois por cento da percentagem paga em seguros de automóvel, vida e doença, uma verba que é canalizada para o INEM a quem Adão Silva passa um atestado de incompetência por inerência quando afirma com tanta certeza de que à duplicação do montante não equivalerão ganhos directos para os utentes.

Mas podem consultar AQUI mais pormenores acerca do douto parecer que tão bem define o móbil de uma oposição por impulso e sem qualquer tipo de critério que não o de contestar para dar a pala...

TGV (ou colocar títulos a pensar nos googladores)


Um passageiro do comboio de alta velocidade francês precisou da ajuda dos bombeiros para conseguir tirar o braço da sanita, depois de ter tentado recuperar o telemóvel que lá tinha caído

(...) Detectado o incidente, o comboio teve que parar duas horas até que uma equipa dos bombeiros conseguisse ajudar o passageiro.

O homem acabou por sair do comboio com a loiça da sanita ainda presa à volta do braço, tendo esta sido quebrada mais tarde.

Ocorre-me dizer:

1. Já proibiram de fumar nos wc's agora só falta proibirem o uso de telemóvel, depois privatizam as casas de banho (isto em brasileiro deve ser pleonasmo, privatizar a privada!!!) e enriqueciam mais meia dúzia à conta dos totós.

2. Duas Horas?????? Não é suposto a viagem de TGV ser rápida???

3. Trabalho de bombeiro às vezes é mesmo trabalho de merda.

4. Meninos!!! Para partir a sanita era preciso duas horas do comboio parado e um corpo de bombeiros? Cá era um vê-se-te-avias...

Moche virtual

Porque parece que é novata, e porque é gaija e porque gosta do Cabra e porque o Shark disse moche, para a Rachel do Eh pá...francamente! vão já dois prémios Dardo e um prémio Alvo.
Mais razões para estes prémios? Temos tantos para distribuir que nem sabemos que fazer com eles.

(vê as regras por aí... a Emiele tem lá no Pópulo)

não é só mais um. É mais Um


Obrigada Emiele!

Avenida das descobertas

Caminho pela calçada com os olhos apontados para as dezenas de cabeças na multidão. Concentrado como um falcão na busca do mais necessário para a sua sobrevivência.
Ansioso, respiro depressa demais e quase me falta a respiração.
De repente destacaria o teu rosto de entre centenas e o sol romperia o manto de nuvens e na rua brilhariam milhares de pequenas estrelas nas gotas espalhadas pelo chão, como um tapete firmamento estendido pelos deuses e copiado do céu para onde esta visão me catapulta.
Abraçar-te-ia, anjo, no ponto de encontro da minha existência terrena com um vislumbre do paraíso futuro de que na minha concepção jamais poderia abdicar.

E sei que voaria contigo até onde o nosso amor instantâneo nos quisesse transportar.

Pode-se dizer mal aqui dos séniores?



Pois é, no meu blog (pode-se fazer publicidade?) também tenho muitos visitantes do Brasil. E por acaso já falei disto tudo lá, mas vou repetir aqui.
Isto aqui de manhã, para ir levar os miúdos, é o caos do trânsito, às 8 h, e o sol a bater nas vistas, e carros a pararem e outros mal estacionados... E não é que com este vento atroz (hoje amainou) e frio, lá andam umas dezenas de velhotes de fato de treino, em passo apressado, a fazer exercício? Atiram-se para as passadeiras, passeiam o cão, nada os detém, cheios de pressa e sítios onde ir, a pé e de autocarro.
No centro de saúde estão lá ainda mal aquilo abriu e atiram-se a mim "Dra, faz favor!" mas que ..."já venho, vou tomar um café..." há lá de certeza alguém igual a mim... depois têm prioridade no atendimento, estão lá nas cadeiras e nós de pé na fila e vêm a correr com as receitas... Eu sei que são idosos e isso tudo, mas são aos montes e parecem muito activos.
E nunca ouviram dizer que "de manhã, é na caminha é que se está bem..." Eu, só obrigada...

Podemos estar à rasquinha mas o tesos também conta.

Parece que a taxa de natalidade voltou a subir este ano e até Setembro já nasceram mais 2100 bebés que em 2007. Ana Fernandes, demógrafa, explica que é o efeito conjuntural. Diz ela que andámos a atrasar o mais possível e chega-se a uma altura em que não é possível atrasar mais e portanto temos nascimentos que foram uma acumulação de contenção até certa idade.
Tem piada, eu quando via gente na rua ou no meio do supermercado a torcer-se toda e com a mão no meio das perninhas cruzadas achava que estavam à rasca, sim, mas que qualquer casa de banho resolvia essa aflição. Este é o grande problema dos amadores que tiram conclusões perfeitamente despropositadas e que podem levar a enganos sérios. Olhem se eu, cheia de espirito cristão e boa vontade (vontade parece-me apropriado aqui), me tinha discretamente aproximado de algum para indicar o WC mais próximo e acabava com uma criancinha nos braços? (esta história, agora que se fala nisso, é-me vagamente familiar,...)
A teoria até me parece razoável, que aflição é aflição e chega-se a um ponto que não se aguenta mais, mas a senhora ali de cima esqueceu-se que a crise também ajuda. Como se sabe o dinheiro não sobra e se não há para pagar a televisão por cabo e a internet é preciso arranjar alternativas para o serão, não é?

Chamem a polícia...

... que isto só pode ser grave.
Alguém de Brasília acabou de entrar no Cabra à procura de serviços de sexo e saiu para O Berço do Shark!

Eles andam aí...


Acabei de perceber que os ciúmes são como os piolhos - basta pensar na possibilidade que começo logo com comichões.

Aviso

A nossa Marlbosro passou de hot a cool, mas.... AINDA NÃO DISSE NADA

McDonalds Fly.

A Ryanair está a oferecer um milhão de lugares de avião a 1 euro para celebrar o início de quatro novas rotas de ligação a Faro, promoção válida até à meia-noite de quinta-feira.

As gasolineiras gostam muito de mim.


É que não resisto a ir pôr gasolina no dia em que acabou de subir ou na véspera de descer...

Desde a meia-noite que a gasolina está mais barata três cêntimos, custa agora um 1,27 cêntimos por litro, enquanto o gasóleo desceu dois para 1,17 cêntimos.

Marketing Eleitoral

Lazer, ou talvez não

Andei o fim de semana todo com um problema bicudo - O Xico Manel.
Também conhecido mais recentemente por cumpadre Xico por a sua performance ser inversamente proporcional ao Phelps mas meter quase a mesma água, o meu portátil lá me vai acompanhando em bons e maus momentos. Hoje teve ele próprio um momento difícil mas nada que um pouco de bricolage e umas mãozinhas de Santo não resolvam... e tá como novo.
Mas o post remonta é mesmo aos dias de descanso últimos e só o consegui escrever agora porque a sua causa está completamente sanada, sendo que a paz readquirida permitiu este curto momento de reflexão.
Tudo se deve a um trabalho que me foi pedido já faz tempo e que tenho andado a pastelar de forma convicta, porque sempre o achei extraordinário mas para os dias de chuva, quando se chega a casa a chapinhar dentro das próprias meias e se vai ainda a escorrer para o canto da cozinha, sim, este trabalho substituía perfeitamente o termoventilador, era ele próprio "uma seca".
Mas a chefia lá insistiu mais do que o normal e lá me ouvi a prometer que sim senhor que era capaz e que só faltava um bocadinho e era fácil terminar no fim de semana e que era garantido e... bolas às vezes não é fácil dizer que não. E pronto, lá me apanhei em casa com o Xico ao lado, desligado, quietinho, sem Cabra, sem google, sem news e sem vontade de o ligar e acabar o raio do powerpoint. Bocadinho aqui, bocadinho ali lá fui pondo uma imagem e uns tópicos e a muito custo lá saiu qualquer coisa sufrivel de se mostrar mas deu para (quase) cumprir a promessa de entregar tudo ontem.
E durante este tempo todo só me vinha à memória aquela professora primária que tem uma turma à frente detentora de Magalhães individuais e que dizia ela própria também convicta "ainda só o usamos para Lazer". Pobres miúdos....

Será que se nota muito que é graxa...

...ter aparecido na escola onde vou todos os dias de jeans esfarrapadas e botas de cowboy, com calças azuis, twin-set branco e colar de pérolas para ter uma reunião com os professores da Clara?

Bonito.

(encontrado aqui Republicans for Obama)

Se não os podes vencer junta-te a eles.

Essencial é escolher bem o "eles" que nos podem servir de encosto. Aqui pelo Cabra escolhemos o melhor.

José Mário Branco entende que a internet é "um instrumento maravilhoso" mas "os tubarões já começam a querer controlar o peixe-miúdo", avisa.

(...no dia em que a blogosfera tiver livro de estilo e alta autoridade, encostada ou não, eu não brinco mais...)

Bruxas de serviço




Lá vem o Halloween, a Noite das Bruxas, mais um pretexto para mascaradas e pedinchice de doces pelas ruas. E de irem mascarados para a escola.

As bruxas, eram mulheres (também se queimavam feiticeiros) velhas ou novas, solitárias, independentes, parteiras, médicas, cientistas, que recolhiam ervas, originais ou doidas, que serviam de bode expiatório às desgraças da vizinhança. Assim uma espécie de cabras de serviço medievais...

Sai mais uma para a mesa do canto

252 visitas

Gosto de capicuas o que querem? E a esta hora temos 22 visitas no cabra!

(e segundo as contas da chefa 11 posts e 282 comentos nas respectivas caixinhas...é obra!)

T@basco!

Tempos depois, e quando eu já pensava que era convite em saco roto, chegou a Tab@asco!
Como costume fui a última a perceber, mas isso não me admira porque foi ela que me treinou para cabra e ainda gosta de me apanhar com as calças na mão.
Temos portanto mais uma cabra no redil e, como já perceberam, com esta não nos podemos distrair.
Sê bem vinda gaija. O curral só tem a ganhar contigo por aqui. Eles ainda não sabem, mas eu sei...

O corno é sempre o último a saber...

Foto: Shark

Who the fuck is Tabasco, chefa?

Laços sem nós

Percebo-me, aos poucos, de costas voltadas para o sol.
Hesito até parar.
Depois começo a recuar, tacteando a berma do passeio com a traseira dos pés.
Percebo-me, aos poucos, saturado de esperar.
E começo a caminhar rumo a um futuro alternativo, paciência, enquanto o escreves pelo teu punho com a palavra ausência.

Googlando

Seguindo as pisadas da Teresa fui investigar o que traz algumas pessoas a este tasco e, há de tudo para todos os gostos qual farmácia de serviço. Não somos farmácia mas cabra, o que vai dar ao mesmo porque também já me disseram que sou equivalente a uma aspirina (espero que seja pelo menos Migraspirina que sempre dou cabo de umas exaquecas), o que seguindo a lógica faz dos restantes membros benurons, bepanthenes, guronsans, hirudoids e afins.
Mas como eu dizia, neste tasco procura-se de tudo e nós como nos prezamos muito no serviço que prestamos à comunidade e na arte de bem receber cá estamos a servir pratos cheios... pois que também temos muita comida...e sangria!
Aqui ficam as dicas e dirijam-se ao guichet (ordeiramente, pois claro) quando forem chamados.
O senhor com a senha das Gajas Nuas a dormir! Não temos a dormir mas se ficar satisfeito com elas acordadas em amena cavaqueira, como disse e muito bem o nosso tubarão satisfaz "os intelectuais via Renoir e os atesoados via Google" divirta-se e tente acertar no frasquinho que a empregada hoje está de folga!
A fila que está à espera do Caia quem caia, faz favor de esperar até ao próximo sábado, digijam-se a uma tv perto de vós e liguem a TVI que aqui não cai ninguém e está tudo muito seguro.
As místicas dos Signos celtas! Lamentamos, mas só dispomos de informações acerca do Espinheiro e da Sorveira (que para quem não sabe o que é uma sorveira, fique sabendo que é uma árvore de madeira (pasme-se!!!))
O ginasta das Barras paralelas! Pode inscrever-se nos workshops de como ter "Uma conversa séria no messenger e uma troca de comentários non sense nas caixinhas. Com a mesma pessoa. E sem nunca se misturarem as bolas."
Os vários senhores que querem um medicamento para a namorada amnésica (ainda não percebi se querem curá-la ou fazer prolongar o estado) podem sacar o filme na net que nós não nos opomos.
Os meninos que andavam à procura de imagens de cabras e burros para o trabalho da escola, sugiro que retirem a imagem da barrinha lateral (a que tem os caprinos!!!! Não vale levar a imagem das maminhas à mostra senão ainda têm negativa no trabalho de grupo) e não vale a pena procurarem no resto do blog senão ainda vos nascem verrugas no nariz que vocês não têm idade para estas coisas. Ahhh e burros não temos que aqui é tudo muito inteligente!
O senhor ou a senhora que anda à procura de sexo vovem(???), olhe isso não conhecemos e não vem no prontuário terapêutico do tasco, mas se ficar satisfeito só com o sexo, é melhor ficar sentado a ler o blog de fio a pavio.
Como vêem fica tudo servidinho e não se acanhem com os vossos pedidos porque mais estranho do que sexo com galinhas duvido que haja e nós lá vamos levando com os pedidos bizarros.
E agora se me dão licença vou ver se arranjo mais temas para vocês pesquisarem, sim?

Ex.mos Senhor@s

Se vieram aqui parar por causa de uma pesquisa no google sobre "caia quem caia" convém que fiquem desde já avisados que só temos um postezinho piqueno sobre o assunto, mas que agradecemos muito a visita.

(é que não se percebe o que tanta gente anda a fazer no google à procura de "caia quem caia". Será que com tanta afluência podemos meter por aqui uns blocos publicitários dos sponsers do programa? Eu gosto daquele do "Bepanthene. Para o rabinho do bebé.)

Alfacinhas, digam-me lá,

(e isto é por causa de um comentário algures lá para baixo)

já que são todos tão bairristas e gostam tanto da vossa cidade, por acaso sabem onde fica o Jardim Marquês de Marialva?
Dou um doce a quem souber.

(e se falo nele tenho de contar uma história. É que este Marquês, de seu nome António Luís de Menezes, tem o corpo sepultado no Convento de Cantanhede (?), o coração junto ao túmulo de D.João IV, no Convento de São Vincente de Fora e as vísceras, sim, as vísceras, ao lado da mulher na capela-mor da Igreja Matriz de Cantanhede. É que só mesmo um marialva conseguia fazer uma destas - o coração fica ao pé do Rei, que gajo que é gajo gosta de estar ao pé de outros gajos, o corpo vai sei lá para que convento mas as freiras deviam ser giras e junto da mulher fica a tripa, pulmões, rins e figadeira, que só podiam estar num estado lastimoso e lá fica a desgraçada a fazer-lhe cházinhos eternidade fora...)

Desabafos.

Às vezes também vos acontece carregarem sem querer numas teclas quaisquer e perceberem que afinal o vosso pc é muito esperto e faz coisas fantásticas e que o texto ficou todo formatado de repente?
É que ainda agora cliquei no control enquanto escrevia um comentário e abriu uma caixa de pesquisa do Google e eu fiquei maravilhada, mas tenho a certeza que me vou esquecer rapidamente que isso é possível. É que ele é muita coisa e se a isto juntar os botões do frigorífico, mais os da máquina de lavar roupa e os do micro-ondas (os dos comandos das aparelhagens electrónicas são um feudo das minhas filhas...) e os da camisa do gajo que desapertam ao contrário e só dá vontade de arrancar com os dentes, começa a ser muito botãozinho e muita função combinada e não há cabeça de gaija que aguente.

Só para chatear...

... e em continuação do post anterior e do outro sobre as pequenas coisas que desapareceram da nossa vida.

Lembram-se daquelas anedotas muito idiotas? Alentejanos, Machel, pois claro!, Alcafache (ainda se lembram de Alcafache?), Sá Carneiro, comunistas, freiras, anões, benfiquistas, paneleiros (acho que me repeti..), ceguinhos, enfim, aquelas todas que agora não contamos porque parece mal e ainda ficam a pensar que somos uns trogloditas insensíveis e sem respeito pelo próximo? Aquelas do mudo que diz ao surdo para levarem o cego ao cinema?
A caixa de comentários continua sem limite de tamanho. Vamos lá, quem tem coragem de contar as anedotas da nossa infância e que foram varridas com o politicamente correcto?
(Brasileiros e espanhóis não vale porque continuam muito actuais...)

Tristezas II

Tenho tentado manter-me caladinha e quietinha, que há guerras que não são minhas e não tenho de me meter, mas confesso que às vezes isso me é quase impossível. Posso contar até 100, posso tomar duches de água gelada, posso levantar-me e ir dar uma volta, mas acabo sempre por abrir a boca e dizer o que me apetecia dizer há muito.

Este blog tem quase um ano e nele já houve posts sobre tudo ou quase tudo. Primeiro só eu, e depois os novos cabras, nunca pedimos licença a ninguém para brincar com o que quer que fosse ou para arriar forte e feio quando nos apeteceu arriar forte e feio. Igreja, política, sindicatos, banca, sistema de saúde, polícia e tribunais, professores e alunos, eutanásia, aborto, casamentos homossexuais, direita e esquerda, gatos e cães, mulheres e homens, enfim, tudo o que se prestou para um post já teve direito aos seus cinco minutos de cabra. Tivemos comentadores a defender posições contrárias e a baterem-se nas caixas de comentários, tivemos gente indignada e tivemos gente ofendida. Nunca tinhamos tido, até agora, faltas de respeito, faltas de educação e ofensas gratuitas como apareceram nas caixas de comentários dos posts sobre futebol.

Não sei porquê nestas alturas lembro-me sempre de um verso do Alexandrre O'Neil, "País engravatado todo o ano, assoa-se à gravata por engano".
Somos assim, foge-nos o pé para o chinelo com uma velocidade assustadora.
Sim, pusemos um post a brincar com o FCP. Ou a gozar. Ou a ridicularizar. Também já pusemos sobre o Papa, o dito, não o Pintinho, e sobre o Sócrates, o nosso, não o da cicuta. E o Bush? Bem, tem sido forte e feio. Engraçado que ninguém se incomodou muito. Incómodo incómodo foi com o futebol. Isso é que faz ferver o sangue, pôr a mão na anca e varinar por aí fora. No mínimo, elucidativo.
Ri-me muito com o post do FCP? É verdade, ri mesmo. Parece que a nossa portista de serviço também se riu. E também gosto de me rir com o Benfica, e o Sporting, e o Belenenses (apesar deste não saber muito bem do que trata), com o Desportivo das Andorinhas e com o Ala-Arriba (este não sabem vocês). Acho graça? Se acho graça eu rio e não peço autorização nem admito julgamentos de carácter. Muito menos aceito que ofendam quem quer que seja só porque não se ri das mesmas piadas que eu.

Os Gato Fedorento, segundo foi noticiado, fizeram um sketch sobre o Magalhães onde brincavam com a Igreja Católica. Levantaram-se de imediato os dedinhos do costume e foram fazer queixas à ERC. Que não, aquilo não podia ser. Mas talvez esses dedinhos tenham sido os mesmos que defenderam a liberdade de expressão no caso das caricaturas de Maomé. E quem sabe se os que agora ficaram tão indignados com uma graçola sobre a "fixa de inscrissãue" não serão também os mesmos que nas outras circunstâncias apontam o dedo a quem por tão pouco se melindra. E não falo só de Portistas, que esses até são só dois ou três e estão todos no Bairro do Aleixo e não sabem escrever o nome muito menos ler blogues, porque infelizmente eles não foram os únicos a perder o norte e a mostrar toda a sua civilidade nas caixas de comentários. Houve de tudo e até se percebe, porque o assunto é sério e, como até está na moda dizer-se, o tema é fraturante.

Tenham juízo!
Não se pode brincar com o futebol sem levar com um taco de baseball em cima? Está bem, daqui para a frente, pelo menos eu, só vou gozar com aleijadinhos, velhos, gays, ciganos, padres, freiras e alentejanos.
Pena o Samora Machel já ter morrido que esse é que dava umas anedotas baris.

Quem guarda a guarda?

A inspecção-geral das Finanças analisou mais de 30 mil mensagens de correio electrónico de cerca de centenas funcionários de vários organismos do ministério tutelado por Teixeira dos Santos.
O jornal Público conta, esta manhã, que a operação foi aprovada pelo ministro das Finanças na sequência de uma queixa apresentada pelo então director-geral dos Impostos à Polícia Judiciária.
Paulo Macedo, actualmente administrador do Banco Comercial Português, denunciou um conjunto de situações que indiciavam fugas de informação por parte dos funcionários do fisco, que estão obrigados ao dever de sigilo.


Houve então fugas de informação de funcionários do fisco que estão a ser investigadas pelo DIAP depois de uma queixa na PJ. E sabemos isso como? Porque é o que consta do processo aberto no DIAP de Lisboa a que o jornal Público teve acesso.

Engraçado... Os processos no DIAP estão sob segredo de justiça e os seus funcionários também estão obrigados ao dever de sigilo. Mas o Público teve "acesso" ao processo. Não, não me parece nada que tenha havido por aqui uma fuga de informação nem vai ser preciso cuscar os emails destes senhores. É obvio que isto só se sabe graças aos dotes divinatórios do Super-Herói Zé Manel Fernandes...

Para o anónimo que está farto de ser anónimo...

... e que se assina como o-gajo-que-ja-se-fartou-de-tentar-e-a-partir-de-hoje-se-chama-simplesmente-"O chato".

Clicar onde diz nome, escrever qualquer coisinha e esquecer o quadro (opcional) que diz URL...
A gerência desta tasca mais do que isto já não consegue fazer.

Crianças são assim, vêem o papão em todo o lado.

As Forças Armadas americanas têm um departamento que se dedica a analisar software potencialmente perigoso usado na net e nos telemóveis. Até aqui nada de mais que percebo que o façam. E também percebo que digam num seu relatório que os mapas baseados em localização por GPS ... (são) potencialmente perigosos para a segurança dos EUA. Para os militares americanos, as organizações terroristas podem usar estas tecnologias para coordenar ataques.

Mas, para além dos mapas por GPS, analisaram também o Twiter um site comunitário grátis que permite enviar mensagens curtas de forma muito rápida (os "tweets") para vários utilizadores, amigos ou desconhecidos, com informações sobre o que se está a fazer ou para chamar a atenção para alguma coisa.
O Twitter, acrescenta ainda o relatório do exército americano, já é usado para "apoiar ideologias extremistas" e pode vir a ser usado, combinado com uso do GPS em telefones móveis, para "montar embuscadas ou detonar explosivos".


Muito bem, temos portanto um aparentemente inóquo site social, o Twiter, a facilitar a troca de mensagens entre perigosos marginais. E quem são eles? Está lá, no tal relatório:

C'legas.

Tenho andado a tropeçar em blogueiros nos sítios mais improváveis e este fim de semana foram logo dois. Ali ao lado, nos blogs de serviço, já lá estão A Toca do Gato e o Audácia.
O Gato Gaspar já por aqui anda desde 2004 mas eu nunca tinha dado com a toca dele.
O Audácia veio do Elástico da Cueca e está com orgasmos múltiplos há uns dias. Aproveitem.

A minha namorada tem amnésia

Este filme tem graça, é bom para terminar um domingo, o dia mais estúpido da semana.
É sobre um engatatão, que depois de levar as namoradas às nuvens, desaparece , dizendo "não acredito em telefones", "sou um agente secreto", "sou casado", " sou gay". Depois encontra a Drew Barrymore, que têve um acidente e perdeu a memória a curto prazo, logo sempre que o conhece, esquece, e ele tem de a conquistar de novo todos os dias, pois ela não o reconhece.
É uma comédia , pois, mas ele vê-se no papel de ter de a perseguir, quando era ele o fugitivo.
Ah, ah. A minha memória a longo prazo é regularmente reciclada, não ando com tralhas atrás (pois não, ficaram em casa dos meus pais, ah ah ah). Mas a sério, vou ao cúmulo de trocar de carro e de telemóvel, para esconjurar recordações. depois às vezes resulta, outras não. Ou penso, quando vejo a pessoa de novo "devia estar louca..." ou fico de todas as cores e escondo-me atrás da árvore mais próxima, debaixo da mesa, etc.
Era bom esta da memória a curto prazo desaparecer, só nos lembrarmos da família.
Porque a de longo prazo, como disse, reciclei-a, nem boas recordações deixei que são as piores...

E não se pode despir ou está tudo parvo?

Empresa brasileira apresenta lingerie com GPS.
Uma empresa brasileira vai apresentar um produto que promete apimentar o mercado do GPS: um conjunto de lingerie com um dispositivo de localização por satélite embutido, que pode ser monitorizado através do Google Maps.
Através deste dispositivo, criado a pensar em maridos ciumentos, é possível a quem tenha uma senha de acesso própria aceder ao programa Google Maps e ver em tempo real as coordenadas geográficas onde se encontra a pessoa que veste a peça de roupa.
O conjunto vai ser comercializado com um preço entre os 1750 e os 2500 reais (entre os 574 e os 821 euros) e tem apresentação prevista para a Feira Só Para Mulheres – Encontro Nacional da Mulher Moderna, que arranca na próxima sexta-feira em São Paulo.


Encontro Nacional da Mulher Moderna. Nem mais!

Há mesmo alturas em que só se perdem as palmadas que caem no chão.

Um jovem canadiano de 15 anos está desaparecido há mais de 10 dias. As autoridades suspeitam que a fuga está relacionada com um castigo imposto pelos pais, que o proibiram de jogar Xbox.

De acordo com os pais a proibição foi decidida pois o jovem chegava a estar acordado todos os dias até às quatro da manhã para jogar on-line Call of Duty um videojogo de acção passado em cenários de guerra.

Pequenos objectos que sairam das nossas vidas.

Durante anos fizeram parte do meu dia a dia e agora quase não lhes ponho os olhos em cima. Falo das minhas canetas de tinta permanente - a da foto foi a dos últimos exames da faculdade, mas tenho e tive para todas as ocasiões - que foram ficando arrumadas e até já me esqueço de as lavar e as encher, e de muitas outras coisas que me eram tão familiares e agora desapareceram do meu dia a dia.
Lembram-se das agendas de telefones? Das cassetes? Dos rolos fotográficos? Há anos que não os uso.
Mas há mais. Muitos mais.
Fervedor de leite, máquina de ferro para moer carne, manteigueira, enciclopédias, tinteiro, lenços de pano, cobertores de lã, sabão rosa, martelo dos bifes, agulhas de tricot e de crochet, lousas, mercuriocromo, envelopes e selos e muito outros que, de vez em quando, vou recuperando da memória.
Lembram-se de mais? A caixa de comentários não tem limite de tamanho.

momento National Geographic

Para quem não sabe (e acha que é uma grande proeza conseguir tocar com a língua no nariz) as amigas girafas conseguem lamber as próprias orelhas!

Lembrem-me de nunca tomar.

'Pílula do esquecimento' apaga as más memórias.

Mas estas são exactamente as memórias que não quero apagar, porque delas depende a minha qualidade de vida.

Diário da Gaija, Parte II

O FCP perdeu!
Já fiz sangria.
A bola está no forno!

Caia Quem Caia

Eu caí e estou farta de me rir!

Gosto de gaijas

A vantagem de falar com gaijas muito espertas é que, mesmo não lhes dizendo nada, elas percebem tudo, chamam-nos à razão, acalmam-nos o espírito e resolvem-nos o problema!

ehhh... pá tantos!!

Só cheguei agora e já deu para ver que se estão a redimir do abandono de ontem, mas também não tenho tempo para tanto comento. Vou ali ao tasco do lado e já volto.

Tristezas.

A Manela Moura Guedes. Ainda não a tinha visto. Não é repugnante. Nem assustador. É só triste.

E o Rui Araujo. Velho, muito velho.

Ou estive muito tempo sem ver televisão ou vou ter de me olhar para o espelho com outros olhos, que não podem ser só eles as criaturas estranhas.

Ouvindo as bases.

Vocês aí desse lado que nem sei quem são mas o sitemeter diz que são muitos, também comem castanhas assadas com manteiga?
É que eu, a Gaija e o Santo comemos, mas estamos habituados a ouvir que isso é estranho... muito estranho...

(na próxima vez vou querer saber se também gostam de Pastéis de Molho da Covilhã, mas desses vai ser mais difícil encontrar alguém que goste porque esses sim, são realmente uma coisa estranha. Fora da Covilhã encontrei uma única pessoa que também morre de saudades, o João Gil, mas ele, tal como eu, tem costela serrana. E só por isso aproveito para dizer que o último trabalho dele é muito bom.)



Adenda da @na: Eu também como as castanhas com manteiga....ahhh!!!

Parabéns e obrigada por fazeres o teu pai feliz.


A marafilha* faz hoje anos e eu tenho a certeza que o Shark está mais babado do que já é costume estar...

Parabéns aos dois!

*claro que este nome genial não é criação minha, tem a marca do autor, o nosso Tubarão, que ninguém mais se lembraria de uma coisa tão bonita assim.

Resumo da jornada

Depois de uma semana de jogos empolgantes saquei os diários aos nossos adeptos para perceber como vivem os dias de jogo.

O Diário da @na.

Quarta feira à noite ele estava estranho. Combinámos encontrarmo-nos num bar para bebermos um copo. Tinha estado a ver o jogo do Sporting e queria festejar a vitória mas acabei por chegar atrasada e pensei que pudesse ser por isso mas ele não fez grandes comentários.
Apesar de termos ganho a conversa não estava muito animada e pensei em irmos a um lugar mais íntimo para podermos conversar mais em privado. Fomos a um restaurante e ele AINDA a agir de modo estranho. Tentei animá-lo e comecei a pensar se seria por minha causa ou se seria outra coisa qualquer. Perguntei-lhe e ele disse que não era eu e que não estava nada chateado que o Sporting tinha ganho e tudo. Não fiquei muito convencida.
No caminho para minha casa, no carro, disse-lhe que o amava muito e ele limitou-se a pôr-me o braço por cima dos ombros. Não sei que raio quis dizer com isso, porque não disse que me amava também e estava a ficar mesmo preocupada. Finalmente chegámos a casa e eu já estava a pensar se ele me iria deixar sozinha! Por isso tentei fazê-lo falar, mas ele ligou a televisão e sentou-se com um olhar distante que parecia estar a dizer-me que estava tudo acabado entre nós. Por fim, embora relutante, disse que me ia deitar. Mais ou menos 10 minutos depois ele veio também e, para minha surpresa, correspondeu aos meus avanços e fizemos amor. Mas ainda parecia muito distraído porque até costumamos gritar os dois Spooooooooooooooorting! e desta vez nem isso. Quis confrontá-lo e falar sobre o assunto mas comecei a chorar e chorei até adormecer. Já não sei o que fazer. Tenho quase a certeza que ele tem alguém e mesmo quando o Sporting ganha a minha vida é uma miséria.


O Diário da Gaija.

O FCP perdeu. Morcões. Vou comer qualquer coisinha.

O Diário do Shark

O Benfica empatou mas eu dei uma queca!

(devia pagar direitos de autor mas não sei de onde veio o original..)

Convidado especial

Ele tem um nome, mas por aqui é o Z. Também tem mais que fazer mas gosta de andar à caça de diamantes e de lhes escrever as histórias. Ele é o nosso Indiana Jones e esta é a história, possivel, do Braganza, The Portuguese Diamond.

Se há coisas que me desinquietam é histórias mal contadas e quando acho importante não largo o osso. Se vocês procurarem na internet 'Portuguese diamond' encontram vários links que vão a ele directo. Chama-se assim embora já tivessem querido chamá-lo de 'The Unknown' mas não passou, o nome faz parte do valor, é demasiado precioso para se conseguir apagar. Lendo as histórias em inglês que estão na net verão que se trata presumivelmente de um diamante encontrado na África do Sul e que nunca terá sido português, seria só um equívoco no nome, e ponto final. Venha então um girinho à Indiana Jones.

O nome é dado como um equívoco porque dizem que não há notícia de que o diamante tenha pertencido à casa real portuguesa. Chama-se a isto o branqueamento de uma história porque notícia pode não haver mas ele deixou rastos bem visíveis. Pode é não haver interesse em olhar para eles. Este"Portuguese diamond"não tenho dúvida nenhuma que está bem no centro da pregadeira com que D. José está representado no retrato da Aclamação, de 1750, quadro que está no Palácio das Necessidades e portanto raramente é acessível ao público.

Como é que eu tenho a certeza? Porque fui lá vê-lo e fotografei-o e medi-o e comparei com a distância interpupilar para ter uma métrica de referência e encaixa perfeitamente num conjunto de menções relativas ao mais famoso diamante da Europa durante uns séculos e ainda hoje, para alguns, o maior diamante azul do mundo. A cor vem-lhe da refracção azulada que ele tem sob certas intensidades de luz. No retrato parece azul, ou escuro, de tal forma que durante muito e muito tempo também eu pensava que era uma safira azul e nem olhava bem para aquilo.

Trata-se do Braganza, um dos mais famosos diamantes do mundo - existe uma confusão nos livros de diamantes famosos que consultei, porque existe uma menina, uma água marinha, que tem cerca de 1580 carats, e que dever-se-ia talvez chamar a Bragança, mas não o Braganza, porque temos de respeitar os 'géneros' das pedras, embora eu até seja um adepto de liberdades. Mas também existe nalguns livros quase perdidos a menção de que o Braganza teria cerca de 150 carats e tal encaixa que nem ginjas nessa pedra talhada em forma de almofada que está no retrato de D. José e que posteriormente terá sido retalhada para a pedra de talhe esmeralda que está hoje no Smithsonian Institute em Washington, pesando 127 cts. É uma história universal que sempre que uma pedra famosa muda de dono é retalhada, para imprimir a marca do novo poder e para que não se possa imediatamente provar a origem anterior. Provar para os positivistas broncos obviamente, porque para os seres normais pode-se fazer uma demonstração. A verdade é o que resiste à poeira do tempo. A verdade basta-se a si própria, já se dizia desde a Escolástica.

Desde o retrato da Aclamação que nunca mais encontrei a pedra representada em nenhum monarca português, excepto talvez num retrato de D. João VI, que ainda não vi ao vivo, no Brasil. Como é que isto se explica? O terramoto de 1755 fez correr muita tinta, o rei de Portugal era então relatado como o mais rico soberano da Europa, com fortuna equiparável aos reis da Dinamarca, Suécia e Nápoles juntos, como relata um viajante da época. Nos excertos das homilias e noutros textos o terramoto de Lisboa foi visto como castigo divino e inspirou toda uma discussão teológica e filosófica que varreu décadas.
Ora os símbolos maiores dos reinos submetidos a desgraças ficavam sob suspeição e os diamantes famosos sempre foram tidos como possíveis portadores de estranhas e enormes energias que podiam ser malditas. Esse era o caso dos diamantes famosos da Índia, que muitas vezes tinham sido originalmente usados como olhos ou adereços de ídolos, logo de deuses, e depois roubados. O Braganza terá sido encontrado no Brasil, presumivelmente, no tempo de D. João V. É de todo normal que tivesse ficado resguardado como potência, meio secreto, meio indizível. Um segredo bem guardado.


Em 1928 aparece à venda numa joalharia inglesa, a Black, Starr & Frost, e é comprado por uma tal de Peggy Joice e a partir daí a história é conhecida. Mas, e aqui entra a tal verdade que resiste à poeira do tempo, em 1928 estava em julgamento Artur Virgílio Alves Reis, depois de ter duplicado uma emissão do Banco de Portugal de notas Vasco da Gama. Assunto complicado que corria bem, mesmo para a economia nacional, até que tanta nota nova em circulação e a compra maciça de acções do Banco de Portugal fez disparar as suspeitas e a investigação. O Escudo português tinha desvalorizado brutalmente face à Libra, precisamente, e foi necessário contrair empréstimos. Com garantia, claro. Porventura isso terá acontecido uns anitos antes de 1928 não sei, porque normalmente há um tempo de latência nestas coisas. Quando me propus investigar o assunto fui bloqueado. O pior é que ouvi dizer mais tarde a um anónimo que o diamante azul tinha sido integralmente pago pelo Estado português e não tinha sido reavido.

Como hoje estão reunidos os pseudo-senhores do mundo para refundarem a finança mundial podemos recordar a lógica do embuste, e em inglês fica a dica, entenda quem quiser:

The Braganza: a fatal blue stone



Z


Temos Capicua

Hoje, sim, ainda é hoje que o amanhã só depois de eu dormir, o que ainda não aconteceu, porque ainda aqui ando a limpar o tasco e a fazer a caixa do dia sozinha. Tudo eu!.. Desertaram todos e não ficou cá ninguém para servir a clientela como de costume.
Mas como eu dizia, hoje dia 23 de Outubro aqui o curral da blogoesfera fechou o dia, com

272 visitantes

e como não podia deixar de ser, até porque ficava com freniquitins nos dedos, capicua é capicua e eu não podia deixar passar em branco.

Agora se me dão licença, vou dar o meu expediente por encerrado que eu também gosto de mantinha e Californication.

(só agora reparei que neste dia tivemos uma outra capicua - 444 page views... coincidência engraçada..Teresa)




Parabéns , Mãe


82 anos, é obra! A minha mãe parece o meu avô. E eu pareço a minha mãe.
Começo a ver a vida do ponto de vista deles, os pais. Digo coisas que nunca imaginei que diria.
Compreendo porque mas disseram e a paciência que é preciso ter para ouvir as asneiras dos miúdos. Que andam sempre contentes e sabem tudo, duh!
Quando se tem filhos, vêm sempre, em anexo, mais miúdos. E é giro vê-los crescer, de como se abraçam a nós "olá mãe da Catarina!" e de um ano para o outro é "ah, olá..." e zás, fecham a porta do quarto. "Porque é que se estão sempre a rir?", "ihihih ela disse porque é que nos estamos a rir...". Isto parece-me familiar. "Parecem tolinhos..." Mais risos. Está bem, tá....
Isto mal começou.

Hoje sou do Benfica.

Sabem porque é que deixaram o Sporting ganhar para continuar na Liga dos Campeões e ao Benfica lixam-no sempre? É que o Sócrates mete umas cunhas em nome dos mais altos interesses da nação e tendo em consideração os indíces recebidos do Instituto Nacional de Estatística.
Basta uma consulta ao site do INE para se ficar perfeitamente esclarecido. Os números não mentem.

Quando o BENFICA joga:

* A produção da indústria EM PORTUGAL cai 22%
* O movimento do comércio de LISBOA cai 35%
* O movimento dos restaurantes cai 40%
* O movimento nas ruas de Lisboa cai 89%
* Centros Comerciais têm queda de movimento de 62%

Quando o SPORTING joga:

* Assaltos a bancos diminuem 67%
* Furtos por esticão diminuem 42%
* Assassinatos caem 44%
* O movimento de travestis cai 99,9%
* Raptos caem 58%
* Transferências de dinheiro para contas off-shore caem 91%
* Fugas da Prisão caem 97%

(recebido por email e ligeiramente adaptado às circunstâncias...)

FÊ CÊ PÊ

Superdragões

Fixa de Inscrissãue


Nome (como te chamas) _____________________________________________________;

Alcunha (como és mais conhecido) ____________________________________________;

Idade (mais ou menos)? _____; Sexo (Macho, Fêmea, Panasca ou Fufa)? ______________;

Nacionalidade (Português, Estrangeiro ou Mouro)? _______________________________;

Morada (onde bibes: rua, nº da porta ou barraca, etc) _______________________________

_________________________________________________________________________;

Localidade (Imbicta ou aonde?) _____________________________________________.


1 – Aonde foste parido?

a) ( ) Bairro de lata ou Ilha

b) ( ) Debaixo da ponte

c) ( ) No mato

d) ( ) Na beira da estrada

e) ( ) Nã sei, não m’alembro


2 – Profissão

a) ( ) Traficante

b) ( ) Indigente

c) ( ) Carteirista

d) ( ) Presidiário

e) ( ) Cantor Pimba


3 – Estado Civil

a) ( ) Bígamo

b) ( ) Junto

c) ( ) Separado

d) ( ) Corno

e) ( ) Matei a gaja


4 – Quantas vezes já foste preso?

a) ( ) Até 5 vezes (pelo menos uma )

b) ( ) Entre 5 e 10

c) ( ) Mais de 10

d) ( ) Já nem m’alembro de quantas

e) ( ) Tou preso, agora mesmo


5 – Especialidade?

a) ( ) Naifa

b) ( ) Taco de basebol

c) ( ) Cadeirada

d) ( ) O que estiver à mão

e) ( ) Outra _____________________

6 - Se ainda és puto:


a – Profissão do Pai

a) ( ) Calão

b) ( ) Chulo/Gatuno

c) ( ) Traveca

d) ( ) Alcoólico/Drogado

e) ( ) Não sei quem é…


b – Profissão da Mãe

a) ( ) Subsidiada

b) ( ) Manteúda

c) ( ) Anda na vida

d) ( ) Alcoólica/Drogada

e) ( ) Não sei dela…


7 – Outras coisa importantes:

a) Estás disposto a frequentar o curso intensivo de “manhas, galgas e outras tangas”? ________;

b) Tens sugestões de bocas, piadas ou outros bitaites a ser amandadas pelo “Nosso Presidente”? ____________________________________________________________________________;

c) E ideias para novos meios de “convencer” árbitros (além das biagens ou da fruta habitual)?

____________________________________________________________________________.

Assinatura como no BI (no berdadeiro)

________________________________________________________

(põe o dedo, se não sabes escrever)


Só eu sei

Spoooooorrrrtttttiiiiinnnngggggggggggggggggggg

Espelhos

Pátio dos desencontros

Nunca percebi se me eram dirigidas aquelas palavras esquecidas que ela quis esculpir num muro antes de partir, numa pedra de gelo que o tempo já quase derreteu.
Nem sei se já me esqueceu ou se ficou tatuada na sua memória cansada a imagem cliché de um beijo prolongado diante de um ocaso alaranjado de Verão.
Nunca saberei se neste momento ela sabe que ainda existo ou se isso lhe interessa sequer.
Sei apenas que é a mulher cujo cheiro me evoca o canteiro daquela vizinha do rés-do-chão que combatia a solidão espreitando, parasita, por detrás das cortinas daquela janela deserta, o amor possível para um voyeur como aquele que contempla agora as cicatrizes esfareladas nas paredes meio desabadas onde ela, a caminho de uma porta de saída em busca de salvação, gravou o epitáfio da sua secreta paixão.

já que ninguém diz nada

ficou tudo "marabilhado" com o prémio Dardos e borrifaram d'alto e de repuxo para o prémio de segunda categoria não é???
Pois está claro que foi!!! Um prémio oferecido pelo 100Nada, esse ícone da blogoesfera (olá Cat!) tem um peso que eu sei que um prémio oferecido pelo blog azul cheio de fios soltos ali do lado não tem. Eu sei sei disso tudo, mas gaita lá por eu ser da casa também tenho direitos, ou não??? Passam a vida nas minhas caixinhas e eu como é óbvio tenho de ser isenta nestas merdas nomeei quem lá vai comentar, que culpa tenho que sejam da família? Ah? Nenhuma, pois é, a família a malta não escolhe! E qual é o tratamento que dão ao meu prémio? Nem ligaram!!! Foi o que foi. Cambada de ingratos, é assim que se trata um membro do rebanho, hem? Fui nomeada a cabra-negra da família e esqueceram-se de me avisar foi???
Pois tomem lá o prémio que não é bonito assobiar para o lado quando vos oferecem alguma coisinha e fiquem sabendo, que "quem dá o que pode a mais não é obrigado", sim?

Agora nomeiem vocês mais 7 que eu estou farta das cerimónias de entrega dos prémios e não sou organizadora de eventos.

E agora vou pô-lo alí na barrinha lateral por causa das tosses, que este curral está cheio de cabras de má memória.